Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

20/03/2017 às 17h56 > atualizado em 20/03/2017 às 18h13

Confira um resumo dos pronunciamentos na sessão plenária desta segunda-feira (20)

Por Jaime S. Martins e Nádia Fontana



Carne – O líder da Oposição, deputado Tadeu Veneri (PT), falou sobre a operação “Carne Fraca”, realizada pela Polícia Federal, que apontou problemas ocorridos na cadeia de produção de carne em vários estados do país. Ele fez um alerta sobre as consequências dessas denúncias para a economia, sobre a forma como as informações foram divulgadas e também criticou o sensacionalismo com o qual o tema vem sendo tratado pela mídia.

 

Carne II – Já o deputado Nelson Luersen, líder da bancada do PDT, fez um alerta sobre a “generalização” dos fatos apontados pela operação “Carne Fraca”, chamando a atenção para dados que comprovam que mais de 90% do setor trabalha de forma séria, cumprindo com todas as normas técnicas. Destacou a preocupação dos avicultores, suinocultores e criadores de gado, bem como das empresas que atuam nesta área, que podem ser prejudicados de forma muito grave. Luersen sugeriu que seja feita uma grande campanha em defesa de quem trabalha corretamente.

 

Carne III – O deputado Guto Silva (PSD) também falou sobre a operação “Carne Fraca” e as consequências para todos os produtores e a economia em geral. Disse apoiar ações de fiscalização, mas fez um alerta para os prejuízos enormes – inclusive no mercado externo – para a cadeia de agronegócios em função de fatos isolados, de atitudes praticadas por alguns. “O dano para quem trabalha com seriedade é enorme”, alertou.

 

Carne IV – A operação “Carne Fraca” foi igualmente tema do pronunciamento feito pelo deputado Tercílio Turini (PPS), que manifestou preocupação com as consequências das denúncias, destacando que prejudicam, especialmente, quem trabalho de forma correta. Exemplificou citando que “nós temos setores no agronegócio, como o da avicultura, que demoraram décadas para serem organizados, e seguem normas técnicas rigorosas”. Lembrou que esse sistema criou uma grande cadeia produtiva, que envolve desde aqueles que vendem o “cepilho” (aparas de madeiras usadas para fazer a cama nos aviários), passando pelos produtores, chegando até os frigoríficos.

 

Carne V – Em seu pronunciamento, o deputado Pedro Lupion (DEM), presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, tratou da questão da carne, frisando a importância do produto para a balança comercial e a seriedade do trabalho da grande maioria dos produtores. Classificou de “irresponsável” a forma como os resultados da operação da PF foram anunciados. Lupion sublinhou que essa grande cadeia produtiva envolve pequenos produtores, que atuam de forma integrada, e sofrem impactos negativos imediatos. Ele acredita que prejuízos serão também sentidos pelos comerciantes de outros setores. “Quem conhece sabe que temos um sistema de rastreabilidade que garante a qualidade da carne. São casos isolados”, concluiu.

 

Carne VI – O tema foi ainda abordado pelo deputado Marcio Nunes (PSD), que fez uma avaliação do setor produtivo da carne lembrando dos avanços conquistados num período de 25 anos: “Sou daquele tempo em que o leite era vendido em garrafas, na porta das residências”, contou.  “Hoje evoluímos, avançamos, e temos um sistema fitossanitário forte, robusto”, acrescentou. Ele manifestou igualmente sua preocupação com os prejuízos causados para a economia do país, num momento de grave recessão.

 

Carne VII - O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) repudiou a forma como foi conduzida a operação da Polícia Federal. Para ele o objetivo foi o de “espetacularizar" a questão. Disse que devem "punir aqueles que cometeram os delitos", mas que o trabalho da PF "transbordou para uma megaoperação desnecessária", ao utilizar mais de mil policiais, e questionou se no país não existe tráfico de drogas e outros crimes que a PF poderia combater com esse efetivo. Lamentou que a condução “desastrosa” do caso vai fazer com que o Brasil perca mercado, com prejuízos que o país demorará anos para recuperar.

 

Água – A preocupação com a queda das ações da Sanepar na bolsa de valores foi manifestada pelo deputado Tadeu Veneri (PT), líder da Oposição, que voltou a usar a tribuna na tarde desta segunda-feira (20). Na opinião dele, os paranaenses precisam saber o que está acontecendo e os reais motivos que levaram o Governo do Estado a decidir pelo parcelamento, ao longo dos próximos oito anos, da proposta de revisão das tarifas. Veneri informou ainda que a bancada da Oposição está solicitando que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) investigue possíveis irregularidades na compra e venda de ações da companhia.

 

Expo Umuarama – O encerramento da Expo Umuarama, que ocorreu no último domingo, foi destacado pelo deputado Fernando Scanavaca (PDT), que considerou a 43ª edição da Feira e a 16ª internacional um sucesso. Para o deputado, a Feira voltou às origens, dando oportunidade para a ampla participação de empresas locais e presença de famílias passeando pelos estandes. Segundo Scanavaca, foram 200 mil pessoas que passaram pelo parque de exposições, o que possibilitou que agricultores e produtores rurais se atualizassem e trocassem experiências, conhecendo novas tecnologias para o setor.  

 

Expo Umuarama II – O deputado Claudio Palozi (PSC) também parabenizou os organizadores da Expo Umuarama. Para ele, o resultado foi "extraordinário", com recorde de público e na comercialização de produtos e também nos leilões de gado. O deputado também falou sobre a operação “Carne Fraca”, da Polícia Federal, e disse que o Governo Federal precisa dar uma resposta urgente para que os prejuízos do setor não sejam grandes como se anuncia no momento, o que pode gerar uma crise no setor, diminuindo a renda dos pequenos produtores e gerando mais desemprego.  

 

Rio São Francisco – O deputado Péricles de Mello (PT) “saudou a transposição do Rio São Francisco”, o que para ele é uma obra marcante para o Nordeste do país, que sempre foi abandonado, e destacou que a obra vai beneficiar mais de 4,5 milhões de pessoas que passarão a ter água em suas casas. O deputado abordou também a operação da Polícia Federal que interditou frigoríficos e disse que o Brasil tem se tornado um "Estado Policial", e que toda a sociedade começa a refletir sobre os atos da PF. Para ele, a operação “Carne Fraca” pode ser considerada uma "parafernália", ao usar mais de mil policiais na operação.  

 

Qualidade – O deputado Schiavinato (PP) defendeu os avicultores e suinocultores da região Oeste do Paraná. Ele apontou a evolução na produção ao longo do tempo e frisou que, hoje, ninguém consegue entrar em uma propriedade rural para ver os aviários ou chiqueiros, devido a segurança sanitária para garantir a qualidade dos animais. Ele disse que a mesma segurança acontece nos frigoríficos. Fez questão de fazer esse relato para que o consumidor tenha segurança quanto à carne que tem consumido.  

 

Lei Kandir – O deputado Professor Lemos (PT) falou da decisão do Supremo Tribunal Federal que concedeu ao Governo Federal um prazo de doze meses para propor uma lei para ressarcir os estados pelos prejuízos com a Lei Kandir, sancionada em 1996, e que isenta do ICMS os produtos e serviços destinados à exportação. Caso o Governo não faça essa lei complementar, após os doze meses, o Tribunal de Contas da União estará autorizado a fazer o cálculo devido para que o repasse seja automático. Lemos apontou que, ao longo dos 20 anos da lei, diversos estados acumularam perdas na arrecadação e que, “no Paraná, as perdas chegam a R$ 50 bilhões, e que isso faz a diferença na hora de atender as demandas da população”. Segundo o deputado, o Governo Federal faz "cortesia com o chapéu alheio". Disse ainda que não é possível esperar esses doze meses e que o Governo Federal precisa fazer já essa compensação aos estados.  

 

Notícias mais lidas

Destaques