Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

22/10/2009 às 15h04

Assessoria de Imprensa da Alep

Por Adriana Ribeiro 41-3350-4188

A Assembleia Legislativa promoveu, nesta quinta-feira (22). uma sessão solene para marcar os 120 anos da imigração judaica no Paraná. O evento que reuniu dezenas de imigrantes e descendentes, no Plenário da Casa, teve o objetivo de homenagear e agradecer pela contribuição que essa comunidade deu ao Estado. “Esta Casa sente-se honrada em fazer esta homenagem. É um justo reconhecimento a esse povo que veio acrescentar a gente do Paraná. Os judeus chegaram ao Paraná em 1889 e mostraram que vieram para ficar. Hoje, vemos no Estado as marcas das sólidas realizações desse povo”, disse Nelson Justus, que alterou a agenda do dia para participar do evento. Justus lembrou que o sobrenome de sua família tem origem judaica. O deputado Ney Leprevost (PP), que propôs a sessão solene, disse que a homenagem era um reconhecimento pela contribuição da comunidade judaica na construção do Paraná. “Os judeus transformaram a economia da região, trazendo valores de solidariedade e confiança de sua cultura milenar”, disse. Segundo Leprevost, os judeus participaram ativamente do desenvolvimento do Estado, se destacando em áreas como comércio, indústria, saúde, artes e na política. O parlamentar citou como importantes contribuintes da história do Paraná o ex-prefeito de Curitiba, Saul Raiz; o ex-governador do Paraná Jaime Lerner; e Moisés Paciornik, médico paranaense reconhecido internacionalmente por suas descobertas científicas. O presidente da Federação Israelita do Paraná, Manoel Knopfholz, agradeceu a homenagem em nome da comunidade judaica e disse considerar a solenidade uma forma de respeito e reconhecimento. “A migração pode se dar por vários fatores: intelectual, cultural e físico. Mas o verdadeiro intuito é a liberdade, para se ir para algum país, um novo destino, onde se constroem novas raízes. E como falar dessa aceitação encontrada no Paraná?”, perguntou. A resposta, segundo Knopfholz, está na reciprocidade encontrada no Estado. “Aqui estabeleceu-se um pacto fundamentado no respeito que busca uma sociedade para todos “, disse.Durante a sessão solene, Manoel Knopfholz e Ester Proveller, presidente da Comunidade Israelita do Paraná, receberam diplomas de menção honrosa. Eles representaram as mais de 700 famílias judias que vivem hoje no Paraná. Participaram ainda da solenidade o ex-prefeito de Curitiba Saul Raiz; o vereador Omar Sabbag, que representou a Câmara de Vereadores de Curitiba; e estudantes da Escola Israelita Brasileira Salomão Guelmann.



Notícias mais lidas

Destaques