Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

09/11/2018 às 15h23 > atualizado em 09/11/2018 às 15h33

Tecnologias digitais aprimoram a educação para a cidadania

Por Vanderlei Rebelo

O uso inovador das plataformas tecnológicas terá cada vez mais um papel central na educação para a cidadania, como ficou demonstrado na apresentação do projeto “Educando para a Democracia na Era Digital”, durante o encontro da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel), realizado no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado Paraná (Alep) nesta sexta-feira (9) pela manhã.

Desenvolvido pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento (Cefor) da Câmara dos Deputados, o projeto foi exposto aos participantes do Parlamento Universitário, da Assembleia Legislativa, em palestra de Juliana Werneck de Souza, diretora do Cefor; de Márcio Martins, diretor da Coordenação de Educação à Distância; e da jornalista Alessandra Watanabe.

Um site específico da Câmara – a Escola Virtual de Cidadania – expõe os vários conteúdos oferecidos pelo projeto, com vídeos, áudios, textos, fotos e ilustrações sobre temas como a democracia, a cidadania, inclusão, educação e trabalho, políticas para pessoas com deficiência, partidos políticos, políticas públicas, iniciativa de leis por organizações sociais e outros temas de interesse.

Os palestrantes abordaram não apenas a elaboração de conteúdos, mas também a forma de apresentação. Como enfatizou Márcio Martins, é essencial que as plataformas adotadas funcionem adequadamente num aparelho celular, que se tornou o dispositivo mais usado pela população no acesso à internet e às redes sociais.

Além disso, na era do compartilhamento, “conteúdo curto não é necessariamente superficial”. Informação simples e direta, na forma de “pílulas”, dá maior fluidez à aprendizagem, afirmou Martins, que ressaltou a importância da modernização do ensino à distância conectado ao mundo do trabalho.

A acessibilidade às plataformas, como ressaltou Alessandra Watanabe, é fator fundamental na educação para a cidadania. Mecanismos de acesso ao deficiente visual também são um diferencial, pois poucos sites e portais da internet dispõem destas ferramentas. “É preciso ser acessível para chegar ao público alvo”, reforçou Juliana Werneck de Souza.

O XXXII encontro da Abel foi realizado em parceria entre a Assembleia Legislativa e o Tribunal de Contas do Estado do Paraná e ainda ofereceu várias palestras aos deputados-universitários, enriquecendo sua experiência nesta terceira legislatura do Parlamento Universitário, promovido pela Alep.



Notícias mais lidas

Destaques