Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

09/11/2018 às 15h02 > atualizado em 09/11/2018 às 16h42

Coordenadora da Escola do Legislativo integrará Conselho Editorial da Abel

Por Trajano Budola

Durante o XXXII Encontro da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel), que teve seu encerramento sediado no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), nesta sexta-feira (9), foi anunciada a criação do Conselho Editorial da entidade, que será integrado pela servidora Roberta Picussa, coordenadora pedagógica da Escola do Legislativo da Alep. “Este conselho é uma ideia antiga da Abel, em razão do grande número de publicações de artigos, dissertações e teses de doutorado sobre as escolas do legislativo e de contas”, afirmou o presidente da Abel, Florian Madruga.

De acordo com Roberta Picussa, o conselho terá a atribuição de selecionar material direcionado à educação para a cidadania, nicho muito explorado pelas escolas do legislativo em todo Brasil. “O conselho escolherá artigos e projetos educacionais que as assembleias, câmaras e tribunais de contas apresentem e possam figurar em publicações científicas e meios de divulgação, como os acadêmicos e as revistas de legislativos”, explicou. Além de coordenadora da Escola do Legislativo, Roberta Picussa é editora-chefe da Revista do Legislativo Paranaense.

Para o coordenador da Escola do Legislativo da Alep, Dylliardi Alessi, o Conselho Editorial da Abel é de extrema importância para fomentar a produção científica sobre o Poder Legislativo e sua relação com a universidade. “Isto cabe às escolas do legislativo e de contas e nós tivemos a honra de ter o nome de nossa coordenadora pedagógica, Roberta Picussa, escolhido para integrar esta equipe”, afirmou. A emissão de pareceres sobre os artigos originais, comentários sobre o conteúdo, consistência, ética e adequação à politica editorial, além de solicitações de informações sobre estes trabalhos, serão atribuições do Conselho.

O Conselho Editorial da Abel será composto por sete membros titulares e dois suplentes, designados pela presidência da entidade. De acordo com seu estatuto, os membros devem tanto quanto possível representar as assembleias legislativas, os tribunais de contas e as câmaras municipais legalmente associadas à Abel. “Espero contribuir e ter uma rica experiência com estes artigos que focam muito na educação com cidadania, tema que todas as escolas do legislativo trabalham com afinco. Será um grande aprendizado ajudar no desenvolvimento de novas escolas e o aprimoramento das que já existem”, afirmou Roberta Picussa.

Carta de Curitiba – Durante o encerramento do XXXII Encontro da Abel foi lida pela coordenadora da Escola do Legislativo da Alep, Francis Fontoura, a Carta de Curitiba, documento que relata os trabalhos desenvolvidos pela entidade em seus 15 anos de existência. “Na fundação da Abel, em 2003, havia menos de uma dezena de escolas. Atualmente contamos com escolas em todas as assembleias legislativas, tribunais de contas e em mais de 100 municípios”, descreve a carta.

Ainda de acordo com o documento, “a educação legislativa é um caminho irreversível”. Neste encontro das escolas legislativas em Curitiba, inscreveram-se 150 participantes de 18 estados e do Distrito Federal, além de representantes de 51 municípios. “A valorização da politica, o diálogo, os movimentos populares, a cidadania unida, o reconhecimento histórico, a democracia representativa e a participação da sociedade são matéria prima das escolas do legislativo e de contas”, afirma a Carta de Curitiba. A carta será enviada a todos os presidentes das assembleias legislativas, dos tribunais de contas e câmaras municipais associadas à Abel.

Premiação – Ainda durante o encerramento do encontro, foi entregue premiação do IV Prêmio Abel, versão 2018, nas categorias Melhor Portal; Educação Legislativa; e Comunidade. Foram 15 projetos inscritos apresentados pelas escolas do legislativo, de acordo com o presidente da entidade, Florian Madruga, o que representa um recorde. “A comissão julgadora teve uma grande dificuldade de escolher, exatamente pela qualidade dos trabalhos enviados”, afirmou.

Foi premiado como melhor Portal das escolas do legislativo em 2018 a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (RN); o prêmio de melhor projeto de Educação Legislativa foi entregue à Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Itapevi (SP); e as escolas do legislativo da Câmara Municipal de Marabá (PA), da Câmara Municipal de Varginha (MG) e da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (SC) foram premiadas com trabalhos na categoria Comunidade.

 



Notícias mais lidas

Destaques