Site de A a Z ///
Siga-nos:
 

▶ Divulgação ///

<< Voltar ///

03/01/2018 às 13h00 > atualizado em 20/12/2017 às 16h50

Abertura das portas da Assembleia fica evidente com o número recorde de visitas guiadas

Por Trajano Budola

A política de abertura das portas para a população foi uma prática permanente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) no ano de 2017. Um dos aspectos mais visíveis desse cuidado é a quantidade expressiva de visitas guiadas Poder Legislativo, muito superior ao número registrado no ano passado. Desde o começo do ano, 3.935 pessoas, de 133 instituições, conheceram a Casa em um programa com informações sobre o funcionamento das atividades parlamentares e o papel do Legislativo junto à sociedade.

Contando todas as visitas à Alep em 2016, registraram-se 2.867 visitantes, oriundos de 95 instituições. “A Casa está sempre aberta e queremos cada vez mais a presença de todos, porque é na Assembleia Legislativa que os mais diferentes assuntos e segmentos do Paraná estão representados, como caixa de ressonância da sociedade. Todos os dias os cidadãos são muito bem-vindos”, afirma o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB).

Comandadas pelas servidoras Jennifer Sarti e Silvana Luz, do Cerimonial, as visitas guiadas atraíram crianças, jovens e adultos de diversos segmentos, entre escolas, colégios, faculdades e instituições de Curitiba e do interior do estado. Gente que nunca havia conhecido o Centro Cívico percorreu os corredores da Assembleia, aprendendo como se desenvolvem as sessões plenárias e como trabalham as comissões temáticas, as CPIs, como são realizadas as audiências públicas e como se organiza o trabalho administrativo.

Turmas de colégios públicos e privados de Ensino Médio, em sua maioria, agiram como multiplicadores da experiência e incentivaram outros grupos. Um dos destaques foi a vinda, em dezembro, de pacientes do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da Prefeitura de Curitiba. Os doze visitantes acompanharam atentamente as explicações e expuseram dúvidas comuns a todos que vêm pela primeira vez à Assembleia. “Estão em processo de recuperação, seja de dependência de álcool ou de outras drogas. Foi bacana porque é algo bastante novo para eles, todos muito interessados”, afirma Jennifer Sarti.

Um grupo que esteve mais de uma vez ao Legislativo foi a Associação Gente de Bem, primeira e última do ano a visitar a Assembleia. “Eles montaram um cronograma, entraram em contato com escolas de comunidades carentes e trouxeram os alunos”, explica Silvana Luz. Ao todo, a associação esteve na Casa três vezes neste ano. “A Assembleia tem dado essa abertura. É uma questão de incentivo à cidadania, para que as pessoas tenham mais chances de aprender sobre política e participação social”, destaca Jennifer.

Uma escola de Assaí, no Norte Pioneiro, promoveu neste ano um concurso de redação entre os alunos e um grupo de seis crianças ganhou como prêmio uma viagem à capital. Um dos destinos escolhidos pela direção foi a Assembleia Legislativa. “Muitas pessoas não sabem quem são os seus representantes, não sabem quem é o presidente do Legislativo, e essas visitas esclarecem muitas dúvidas sobre a vida pública. As pessoas entendem que a Assembleia está de portas abertas e todo cidadão pode acompanhar o dia a dia dela, no plenário, nas comissões e gabinetes”, afirma Jennifer.